quarta-feira, 8 de junho de 2011

Grau 24: Príncipe do Tabernáculo

Este Grau é uma espécie de continuação do Grau anterior, Grau 23, Chefe do Tabernáculo, já que o local e o cenário anterior são novamente mostrados neste. Há uma Loja Maçônica chamada Corte que é dirigida por Moisés, num acampamento do deserto. Existe um candidato que se tornará Sacerdote entre as tribos de Judá e os mistérios estão para ser a ele confiados.
Há a purificação pelo fogo, terra, água e ar. O objetivo do Grau é o estudo da construção do Tabernáculo no seu aspecto místico e espiritual. A base do Grau é judaica e a fonte principal é a Bíblia, onde no livro do Êxodo, capítulos 25 e 26, encontra-se o preâmbulo do mesmo. Os referidos capítulos do livro do Êxodo detalham a construção da Arca da Aliança
e a do Tabernáculo, minuciosamente, pelas informações e visões dadas a Moisés por Jeová.
O autor do Grau foi buscar nestas minúcias detalhes para armar o Templo do Grau 24 - Príncipe do Tabernáculo.
A Câmara do Grau é constituída de duas peças: a primeira é o Vestíbulo e é semelhante a uma Câmara de Mestres-Maçons; a segunda é de forma circular e é chamada de Hierarquia. Há três Vigilantes, que são: Arão, Beseleel e Goliab. Os Trabalhos do Grau são abertos como em qualquer outro Grau e o candidato não bate à porta, pois a mesma encontra-se aberta.
Mas, após a sua entrada, fecha-se. A seguir o Presidente profere um discurso que relembra ao candidato toda a sua Vida Maçônica e os deveres e lições aprendidos em cada um dos Graus anteriores, e transmite ao candidato a perfeita noção do papel de um jurado, pois o levita tem a função de administrar a justiça dos homens inspirado na Justiça Divina e no direito que todos têm de ser julgados corretamente.
Após a locução sobre o papel do jurado, o Recipiendário vai aos três Vigilantes para receber a purificação. Lava e purifica as mãos no Vaso das Abluções, perfuma-se no Altar dos Perfumes e finalmente presta o seu Juramento cuja fórmula contém a defesa da Justiça e a soberania do Jurado.

1 - Ornamentação da Loja

A Loja compreende duas salas contíguas, sendo que a primeira, o Vestíbulo, está decorado como uma Loja de Mestres-Maçons e a segunda é de forma circular, tendo no centro o Candelabro de Sete Velas (Menorá), é iluminada por 49 luzes.


2 - Mistérios do Grau

PALAVRAS

- SAGRADA - Jehovah (Pronunciada por sílabas).

- PASSE - Uriel.
Resposta: o Tabernáculo das Verdades Reveladas.

SINAIS - De Reconhecimento ou Sinal do Cordão - Levar a mão direita aberta sobre os olhos para protegê-los da luz; colocar a mão esquerda sobre o peito. Depois levar a mão direita ao ombro esquerdo e retirá-la transversalmente ao lado direito.

GRANDE SINAL - Levar as duas mãos abertas sobre a cabeça unindo os polegares e os indicadores entre si, formando um triângulo.

TOQUE - É o mesmo toque do Grau 23 - Chefe do Tabernáculo.
BATERIA - Sete pancadas por seis e uma (!!!!!! !).

TRABALHO - Na abertura: a primeira hora do dia dos sete destinados à construção da Hierarquia. No fechamento: a última hora do dia da vida e da suavidade.


3 - Insígnias do Grau do Príncipe do Tabernáculo

Avental - De cetim branco forrado e orlado de vermelho, tendo no corpo o desenho de uma tenda e na abeta o de uma árvore.
Fita - Fita de cor vermelha tendo dependurada a Jóia do Grau.
Jóia - A Jóia é um Triângulo com a palavra Jehovah. Alguns Rituais informam que em vez da fita o Príncipe do Tabernáculo utiliza um Colar.
Indumentária - Todos os membros estarão trajando túnica de seda ou tafetá azul, tendo a gola guarnecida por raios dourados, dando a impressão de uma aura. Esta veste é semeada de estrelas douradas. Sobre a cabeça usam uma coroa fechada, cercada de estrelas, encimada por um Delta.


*
*    *

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário