terça-feira, 21 de junho de 2011

Mestre Instalado

Ser ou estar VENERÁVEL MESTRE não é pavonar-se com o belo e portentoso paramento e fazer questão de que o tratem por Venerável. A palavra Mestre vem do latim Magister e significa "diretor", "chefe"., derivando da palavra "Magis", que significa "mais que os outros", isto é "o mais justo, o mais evoluído, o mais sábio, o mais intelectual e espiritual", homem superior que mais se aproxima da perfeição. No simbolismo maçônico, a cerimônia de Instalação do Venerável remonta ao século XVIII, e era praticada pelos Antigos. A partir de 1810, foi introduzida em toda a maçonaria inglesa. A cerimônia ritualística passa sucessivamente do grau de Aprendiz, em que é iniciada aos graus de Companheiro e Mestre, permanecendo, finalmente, no Templo apenas os Mestres Instaladores e os Mestres Instalados, formados em Conselho, e o Venerável que será instalado (No caso de ter mais de um, os Veneráveis a serem instalados). Por maior que seja o seu grau no Filosofismo, mesmo sendo Membro Efetivo do Supremo Conselho, um Maçom que não tenha passado pela cerimônia de instalação não poderá permanecer no Templo. Por isso, a fim de evitar constrangimentos, em algumas obediências, os maçons ocupantes de alguns cargos são instalados, sem terem sido eleitos para o cargo de Venerável, o ideal é que tal grau seja conferido a um Mestre que tenha sido regularmente eleito para o cargo de Venerável. Tal prática resultou na existência do: mestre instalado biônico, isto é, aqueles cuja origem de instalação não foi advinda da eleição para assumir a direção dos trabalhos regulares de uma Loja Simbólica. O Mestre Instalado deve ser dotado de sabedoria para compreender, de discernimento para julgar e de meio para executar. Deve conduzir a Loja com retidão, para honra e glória do GADU.

Privilégios do Venerável:

-Congregar a Loja;
-Presidir os trabalhos da Loja;
-Preencher, temporariamente, os cargos vagos;
-Regular a admissão de visitantes;
-Regular todos os assuntos de ordem, sem ter a Loja direito de considerar ou julgar sua decisão, salvo em grau de recurso para o Grão-Mestre ou para a Grande Loja;
-Controlar ou determinar as discussões sobre assuntos maçônicos;
-Nomear todas as Comissões não reguladas de forma particular;
-Ser o guarda da Carta Constitutiva da Loja;
-Mandar expedir os convites aos membros da Loja;
-Ter o Voto de Minerva, além do deliberativo, nas votações;
-Assinar todas as contas para o pagamento pela Tesouraria;
-Instalar seu sucessor na Cadeira de Salomão.

O Venerável deve ter sempre em mente as seguintes regras:

-Dirigirei minha Loja à voz de minha consciência e guiar-me-ei pelas promessas de minha Instalação.
-Dirigirei minha Loja, sem temor, sem objetivar favor ou recompensa, salvo o julgamento de minha consciência e o favor de Deus.
-Procurarei atrair meus Irmãos aos trabalhos, ministrando-lhes abundantes ensinamentos maçônicos.
-Procurarei sempre, e por todos os meios, conhecer os antigos trabalhos e escritos da Ordem, e não estarei satisfeito enquanto isso não for conseguido.
-Não deixarei nunca que um Irmão, carecendo de amparo, se afaste da porta da Loja desiludido, se em meu poder estiver à possibilidade de ajudá-lo.
-Procurarei ser um modelo para meus Irmãos em prudência, veracidade, cortesia e amor.
-Procurarei ser coerente nas minhas palavras para que elas sejam as minhas ações.
-O maldoso, em minha jurisdição, não terá descanso até que se regenere; mas, se não se regenerar, será excluído do meio.
-Meus auxiliares deverão cumprir seus deveres conforme os compromissos de posse.
-Minha Loja será honrada e respeitada entre suas iguais.
-O Venerável deve ser tolerante e afável.
-O Venerável deve ser cauteloso, fervoroso e comedido. Abriu vosso espírito e se nele não houver sombras, sereis levado ao prêmio de agir com correção e vossos Irmãos vos honrarão.
-O Venerável deve ser ardente amante da Maçonaria verdadeira. Pelo estudo e pela meditação deveis vos preparar para saber separar o joio do trigo e aprender a condenar os impostores e inovadores.
-O Venerável deve saber respeitar seus superiores hierárquicos. Como esperar serdes obedecido, se não aprendestes a obedecer?
De duas fontes promana vossa autoridade: de Deus, pela Sua palavra; da Grande Loja, pela Carta que tendes. Desta forma, obedeceis duas vezes, enquanto mandais uma.
-O Venerável deve ser um maçom zeloso.
É vosso dever, Venerável, propagar a sabedoria maçônica. Sois como o mensageiro de seu Evangelho. Deveis ser preciso no conceito; firme no debate; conhecedor da literatura maçônica e dos que deveis dirigir na guerra contra o erro.


*
*    *

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário